1º motivo da estrada

{Marc Chagall, Le Jongleur de Paris}


escrevo-me com o vento
espalho os acúmulos
desfolho-me de instantes

sou feita de vida nômade

pâmela grassi

Comentários

  1. tenho que revelar que não tenho esse espírito nêmade dentro de mim, prefiro o aconchego da minha casinha mas acho muito legal quem o tem... rsrs...

    ResponderExcluir
  2. Ai, que espírito mais lindo.
    Teu espítiro me inspira, Pâmela!
    Muito!

    ResponderExcluir
  3. Que lugar lindo esse aqui.
    Fazia tempo que não te visitava. Voltarei sempre que minha alma precisar de alimento.

    Um beijo de muito carinho.

    ResponderExcluir
  4. Escrever-se com o vento... dá a ideia de que seus pensamentos fluem e flutuam mundo afora, e no fundo é o que acontece por "aqui", blogues. Às vezes não temos ideia da dimensão das distâncias alcançadas e nem das almas tocadas. Gostei disso, como gosto do vento que refresca e traz perfumes distantes... daí poema nômade.
    Beijo, Pâmela.

    Ivan Bueno
    blog: Empirismo Vernacular
    www.eng-ivanbueno.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Concordo com a Tábata. Um belo lugar esse aqui. Um dia entrei, passei a seguir e - talvez por não lembrar do quão bem me fez na ocasião - não voltei mais. Estou voltando agora para ficar. :)
    Seguindo o fio da tua meada, confesso minha contradição: vivo, como Camilla, no aconchego de minha casa, mas com olhos sempre atentos às cores do mundo afora e - vez ou outra - acabo me rendendo a elas. *me amarrei no teu carretel*

    ResponderExcluir
  6. Sonhei hoje contigo!

    Tu me pediu para desenhar um táxi para ti.

    hehehe

    Bunitinho, neh?

    :)

    ResponderExcluir
  7. Lindeza, minha querida Pâmela!
    Como sempre...
    Enorme abraço e beijinhos

    ResponderExcluir
  8. a cecília meireles se remexe onde quer que esteja...

    ResponderExcluir
  9. Hoje eu tô pra Quintana!

    "Uma borboleta amarela?
    Ou uma folha seca
    Que se desprendeu e não quis tombar?"

    ResponderExcluir
  10. "O caminho se faz ao andar
    disse o poeta
    mas há que inventar os pés
    com poesia"

    Renato Tapado, né?!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas