Cancional

Trazias no seu corpo-cancional a linguagem da noite e o mistério que escorria na extensão de suas notas. Compunhas a passagem de um abraço enroscado no meu pescoço. Sua fluidez cartográfica fundia-se em mim com o calor morno de seu rosto. Escrevias no íntimo silêncio que de versos úmidos escorriam-me.

De um amor confuso e infuso, à mercê das canções customizadas nos (des)encontros, deslizávamos sobre a queda. Não hesitamos diante de sermos uma canção pelo instante do vasto céu.

Pâmela Grassi,

Comentários

  1. Canta e encanta quem vive dentro da gente.

    ResponderExcluir
  2. lindo o simbolismo das tuas palavras, Pâmela!

    a canção nos toma, por um momento breve ou uma vida inteira...que importa? importa que não hesitemos diante da entrega...

    beijão pra ti, e um ótimo findi

    (e que venha sol, né? amanhã vou estar em Bento numa mega campanha pra cadastro de doadores de medula e precisamos é de sol, a organização pra coletar 2mil amostras vai me dar dor de cabeça se tiver tempo ruim...:o

    ResponderExcluir
  3. ...traigo
    sangre

    de
    la
    tarde
    herida
    en
    la
    mano
    y
    una
    vela
    de
    mi
    corazón
    para
    invitarte
    y
    darte
    este
    alma
    que
    viene
    para
    compartir
    contigo
    tu
    bello
    blog
    con
    un
    ramillete
    de
    oro
    y
    claveles
    dentro...


    desde mis
    HORAS ROTAS
    Y AULA DE PAZ


    TE SIGO TU BLOG




    CON saludos de la luna al
    reflejarse en el mar de la
    poesía...


    AFECTUOSAMENTE
    PAMELA


    ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE CHOCOLATE, EL NAZARENO- LOVE STORY,- Y- CABALLO, .

    José
    ramón...

    ResponderExcluir
  4. Olá, guria...
    que felicidade a tua visita em meu lar: Tecer Palavras, mais felicidade ainda ver que aqui encontro de ornamentro e ilustração, uma bela colcha de retalhos... ah, que coisa mais bela isso, a arte configurada pelos retalhos que a vida nos oferece.

    Achei tudo aqui muito lindo, como lindo é a tez que de ti emana, de teu coração, de tua alma...

    Beijos querida, que venhas sempre me visitar, pois estarei sempre por aqui...

    ResponderExcluir
  5. Pâmela...

    Tuas palavras
    são uma melodia
    suave como o resvalar dod dedos...

    Beijosss
    AL

    ResponderExcluir
  6. obrigada pela doce visita.


    palavras suaves...


    beijos poéticos moça :)

    ResponderExcluir
  7. Guria de uma simplicidade bonita que me encanta!



    Te amo meu suco ;*

    ResponderExcluir
  8. Pâmela:
    A canção pode ser tudo...até uma arma:

    "a canção é uma aram e eu não sabia..."
    José Mário Branco - cantautor da resistência portuguesa.

    Beijo doce

    ResponderExcluir
  9. Pâmela :) tudo bem?
    obrigada por comentar no meu blog
    poucas pessoas passam por lá, mas
    não consigo deixá-lo
    é minha valvula de escape!
    :D
    adoro o que tu escreve, causa 'boniteza' aos meus olhos (assim que se diz?) asuhau
    Beijo Grande

    ResponderExcluir
  10. Tive vontade de estar envolta nesta canção.

    Moça bordadeira, creio que vc alinhava quem aqui vem, prendi-me e não quero soltar.

    Bonito espaço!

    Obrigada pelo doce comentário.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Nos (des)encontros dos acordes se compõe uma bela harmonia..

    Muito lindo, Pâmela

    ResponderExcluir
  12. Essa canção só pode ter notas embaralhadas: "Um pouco do seu Tom Zé misturado com meu Chico BUarque"!

    ResponderExcluir
  13. Não hesitamos diante de sermos uma canção pelo instante do vasto céu.

    Que lindas palavras Pâmela *.*

    Bom demais te ler.

    Grande Beijo.

    ResponderExcluir
  14. Linda composição, a melodia certa!!!
    Eu realmente adorei o texto.

    ResponderExcluir
  15. tens um trato cuidadoso com as palavras...
    as descrições são verdes e livres como uma sonata à beira de um riacho, sábado de manhã...

    ResponderExcluir
  16. cancional desde as conversas sobre o tudo e o nada

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas